CNI VÊ ACELERAÇÃO DA ECONOMIA EM 2020 E PROJETA ALTA DE 2,8% PARA O PIB INDUSTRIAL

A economia brasileira deve acelerar no próximo ano, com aumento de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 1,2% neste ano. É o que indica estimativa divulgada nesta terça-feira (17) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio de edição especial do Informe Conjuntural.

“A garantia de que esse crescimento vai se materializar, de que o crescimento vai aparecer, é a continuidade das mudanças na economia, que vão gerar melhor ambiente de negócios e mais segurança para as empresa investirem mais, contratarem mais”, avaliou o economista da organização, Flavio Castelo Branco.

PIB industrial
No caso do PIB industrial, a expectativa da CNI é de uma alta de 2,8% em 2020, contra 0,7% de crescimento neste ano. Se a projeção for confirmada, será a maior expansão desde 2011, ou seja, em nove anos.

Para a organização, o setor da construção civil será o “principal motor” do aumento do nível de atividade no próximo ano.

Segundo Castelo Branco, a construção civil se beneficiará do avanço do governo nas concessões e nas privatizações, além do foco no setor de sanamento. Além disso, observou ele, o processo de queda de juros também tem estimulado o setor de habitação.

“A recuperação do setor [de construção civil] tende a gerar um número grande de contratações formais, dando suporte a novos avanços no consumo”, avaliou a CNI, que estimou uma alta de 2,2% no consumo das famílias no próximo ano. Para os investimentos, a projeção é de uma “alta robusta” de 6,5% em 2020.
Mercado de trabalho
Para a Confederação Nacional da Indústria, o mercado de trabalho vem mostrando dinâmica positiva em 2019, e as perspectivas para o próximo ano vão no mesmo sentido.

A previsão é de que a taxa média anual de desemprego caia de 12,3%, em 2018, para 11,9% em 2019 e atinja 11,3% no ano que vem.

Ao mesmo tempo, a CNI estima que o rendimento médio real deve avançar 1,6% em 2020, e a massa salarial real deve crescer 3,4%.

Inflação, juros e dólar
A expectativa da CNI é de que a inflação continuará a apresentar um “comportamento favorável” em 2020, com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) somando 3,70% no ano que vem, contra 3,78% em 2019.

Sobre a taxa Selic, atualmente na mínima histórica de 4,5% ao ano, a Confederação Nacional da Indústria projeta estabilidade da taxa nesse patamar ao longo de 2020. “Há expectativas de continuidade no crescimento das concessões do crédito, tanto para a pessoa física quanto para a jurídica”, acrescentou.

De acordo com a confederação, o dólar “deverá continuar fortalecido” com as diferenças de ritmo de crescimento entre economia americana e a Zona do Euro e o Japão. A previsão é de que o dólar permaneça acima de R$ 4 no próximo ano, terminando 2020 ao redor de R$ 4,10.

 

As informações são do G1. 19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *