IMPLANTAÇÃO DAS NORMAS DE SEGURANÇA E SAÚDE REDUZEM RISCOS DE ACIDENTES NOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Os acidentes em postos de combustíveis ocorridos recentemente no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Norte, preocupam a Federação Nacional dos Frentistas ( FENEPOSPETRO) que elabora um documento a ser entregue à Agência Nacional de Petróleo (ANP), em audiência com os órgãos fiscalizadores.

Direitos humanos e direito à vida são inegociáveis, por isso o presidente da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO), Eusébio Pinto Neto, estuda medidas para aumentar a segurança dos trabalhadores no ambiente laboral. Na semana passada, três acidentes levaram pelos ares postos de combustíveis no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Norte. Apesar das explosões violentas, felizmente, ninguém ficou ferido gravemente. Esses acidentes põem em risco à vida do frentista e das pessoas, que vivem ou trabalham, no entorno do posto.

Para debater a falta de fiscalização e de segurança nos postos de combustíveis, Eusébio Pinto Neto elabora um documento que será encaminhado à Agência Nacional de Petróleo (ANP). No ofício, a FENEPOSPETRO solicita uma audiência com os órgãos fiscalizadores e com os representantes do Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (SINDICOM) e da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS).

No encontro, que será mediado pelo Ministério do Trabalho, o presidente da FENEPOSPETRO vai cobrar o cumprimento das normas de segurança e propor a criação de uma campanha educativa para reduzir os riscos de acidentes nos postos de combustíveis. Segundo Eusébio Neto, o trabalhador, assim como o cliente precisam ter conhecimento do risco que o ambiente do posto representa.

Eusébio Neto destaca a importância do acompanhamento do sindicato na implantação das normas regulamentadoras para reduzir os riscos de acidente e de contaminação no ambiente laboral. Ele diz que os dirigentes sindicais precisam estar atentos ao cumprimento da NR 20, que qualifica o trabalhador para manusear com segurança os produtos tóxicos e inflamáveis.

O presidente da federação ressalta que a participação dos sindicatos, junto às Comissões Tripartites e Nacional Permanente do Benzeno (CNBz) na elaboração das normas de segurança e saúde, é uma grande conquista. Ele ressalta, no entanto, que é preciso trabalhar também junto aos órgãos públicos, para que os direitos dos trabalhadores sejam garantidos. Eusébio acredita que a boa aplicação da NR 20 evita acidentes e garante a segurança e a saúde de todos.

A norma faz uma análise de risco que facilita a identificação dos problemas. Para implantar a NR 20, os postos são obrigados a capacitar os seus funcionários. O trabalhador é peça fundamental nesse processo, porque conhece os problemas do dia a dia no posto. A observação do trabalhador é importante na implementação da análise de risco.

Eusébio Neto lembra que os sindicatos estão alertas e atuam ativamente na área de segurança e saúde, construindo normas que estabelecem requisitos mínimos para a gestão da segurança e saúde na atividade de manuseio e manipulação de inflamáveis e líquidos combustíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *