RODOVIÁRIOS LUTAM CONTRA EXTINÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO

Os sinais, nesse sentido, são evidentes, conforme manifestações de figuras públicas em recentes artigos, congressos, seminários e entrevistas à imprensa, que também apoia as medidas.

O alerta é do presidente da Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de São Paulo (Fttresp), Valdir de Souza Pestana, que promoverá debate sobre o assunto.

Ele marcou, para 25 de agosto, um seminário jurídico de relações trabalhistas no setor de transporte rodoviário de cargas, que já recebe inscrições gratuitas no site www.seminariojuridicofttresp.com.br

Com apoio do Tribunal Regional do Trabalho da segunda região (TRT 2), o evento será no auditório da Associação dos Advogados de São Paulo, na rua Álvares Penteado, 151, Centro da capital paulista.

Debates Palestras o dia inteiro

O seminário começará às 9h30, com palestra do ministro do TST Augusto César Leite de Carvalho. O presidente do TRT da 2ª Região, Wilson Fernandes, presidirá a mesa.

A seguir, falará Teresa Aparecida Asta Gemignani, desembargadora do TRT da 15ª Região. A mesa será presidida por Ivani Bramante, desembargadora do TRT da 2ª Região.

O advogado trabalhista Arnaldo Donizetti Dantas dará sequência aos trabalhos. Em seguida, falará a advogada e consultora jurídica empresarial Luciana Saldanha.

A juíza do trabalho Erotilde Minharro dará sequência às palestras, seguida pelo deputado federal Toninho Wandscheer (Pros-PR), presidente da comissão especial do projeto de lei 4860-2016.

Tarde

Após o almoço, haverá palestra do advogado Thiago Menegaldo, presidente da comissão de direito do trabalho da OAB-SP, seguido por Márcio Granconato, juiz do trabalho.

O próximo palestrante será o advogado Marcos Aurélio Ribeiro, assessor jurídico do sindicato das empresas de transporte de carga do estado de São Paulo (Setcesp).

O advogado Angelucio Assunção Piva, assessor de sindicatos de trabalhadores, e o desembargador Davi Furtado Meirelles darão sequência aos trabalhos.

O presidente da mesa vespertina será o desembargador da segunda região Francisco Ferreira Jorge Neto, que abrirá a participação do plenário nos debates.

Retrocesso Pestana critica reforma trabalhista

Pestana não considera modernização das leis trabalhistas a terceirização, o trabalho intermitente, premiação como indenização, jornada de 12 horas e supressão de intervalo para descanso e alimentação.

“Impor essas modificações representa trazer para o século XXI conceitos do século XIX. A exploração absurda foi superada pelo reconhecimento de se garantir um pouco de dignidade a quem trabalha.”

Os direitos trabalhistas, para ele, além de garantir dignidade ao trabalhador, geram o consumo, que só é possível se o trabalhador receber remuneração suficiente para isso.

Os efeitos das reformas serão desastrosos, segundo o sindicalista, e atingirão, em futuro breve, profissionais que não se identificam com a luta do movimento sindical neste momento.

Ele cita taxistas, pessoal de salões de beleza, comerciários e pequenos comerciantes, corretores de imóveis e de seguros, que serão menos procurados com a perda do poder aquisitivo dos assalariados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *