Defesa dos sindicatos cresce de 38% para 47%, mostra DataFolha

Percepção é que enfraquecimento do sindicalismo resultou em perda de direitos trabalhistas

Crédito: Juliana Barbosa

Segundo pesquisa Data Folha, publicado pela Folha de S.Paulo no sábado (4), a percepção sobre sindicatos, que perderam influência com a reforma trabalhista de 2017, melhorou.

Naquele ano, 58% consideravam que as entidades serviam mais para fazer política do que para defender os trabalhadores. Hoje este entendimento caiu para 50%.

Já a visão de que os sindicatos são importantes para defender os interesses dos trabalhadores subiu de 38% para 47%.

Para o secretário geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna, “a pesquisa demonstra que mesmo com o enfraquecimento das entidades sindicais, nas mudanças ocorridas como o fim da homologação das demissões com mais de um ano de trabalho foi retirada das entidades sindicais, o fim do financiamento sindical via contribuição sindical, os acordos individuais ao invés dos acordos coletivos e convenções coletivas, as entidades sindicais mantiveram suas ações e sua luta. Agora que a realidade se impõe o trabalhador vê o quanto perdeu com a reforma”.

O dirigente sindical conclui dizendo que “os trabalhadores sentiram a necessidade dos sindicatos na defesa de seus interesses, nesse momento de crise, desemprego e queda dos salários”.


As informações são da Folha de São Paulo