top of page
  • Foto do escritorSTIMMMEI

Economia cresceu 0,1% em novembro, diz monitor do PIB da FGV

Expansão no mês é explicada pelo desempenho positivo da agropecuária e da indústria, destacou a coordenadora da pesquisa.




A economia brasileira cresceu 0,1% em novembro em comparação a outubro, considerando-se dados com ajuste sazonal, calcula o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre) em seu Monitor do PIB, divulgado nesta terça-feira (17).


Na comparação interanual, o crescimento da economia em novembro foi de 2,0%. Na análise trimestral interanual, a economia cresceu 2,6% no trimestre móvel findo em novembro.


“O crescimento de 0,1% da economia em novembro é explicado pelo desempenho positivo da agropecuária e da indústria. O setor de serviços, por sua vez, que tem mostrado tendência de desaceleração desde o segundo semestre, apresentou retração em novembro, após seis meses consecutivos de taxas positivas. É importante destacar o desempenho deste setor, pois ele tem sido responsável por cerca de 80% do crescimento do PIB de 2022. Os juros elevados combinado com o alto índice de endividamento das famílias contribuíram para essa desaceleração dos serviços”, diz Juliana Trece, coordenadora da pesquisa, em comentário no relatório.


O consumo das famílias cresceu 4,4% no trimestre móvel findo em novembro, segundo o FGV Ibre. A análise dos componentes da demanda é realizada na série trimestral interanual por esta apresentar menor volatilidade do que as taxas mensais e aquelas ajustadas sazonalmente, permitindo melhor compreensão da trajetória de seus componentes.


O consumo de serviços segue sendo o principal responsável por esse crescimento, embora em nível menor que observado anteriormente. Essa desaceleração do ritmo de crescimento foi observada em todos os componentes do consumo, embora apenas o consumo de produtos semiduráveis tenha, de fato, retraído no trimestre (-9,6%).


A formação bruta de capital fixo (FBCF) cresceu 5,6% no trimestre móvel findo em novembro, segundo o FGV Ibre. “Todos os segmentos da FBCF cresceram, porém o de máquinas e equipamentos foi o principal responsável por esse desempenho, com contribuição em torno de 70%.”


Tal como nos quatro trimestres móveis anteriores, o forte crescimento de máquinas e equipamentos importados explica a evolução do segmento de máquinas e equipamentos.


A exportação de bens e serviços cresceu 15,1% no trimestre móvel findo em novembro, segundo o FGV Ibre. Todos os segmentos contribuíram positivamente para este desempenho, sendo a exportação de produtos agropecuários o principal destaque, respondendo por aproximadamente 30% do crescimento total das exportações.


A importação de bens e serviços cresceu 6,5% no trimestre móvel findo em novembro. Embora positivo, este resultado mostra redução do ritmo de crescimento que vinha sendo observado desde meados de 2022.


As importações de bens intermediários são a principal causa dessa desaceleração ao reduzir o crescimento de 9,4%, no trimestre móvel findo em outubro, para 3,7%, no trimestre móvel findo em novembro.


As informações são do G1.


bottom of page